Frida Kahlo Forever

Não vou falar muitas coisas de Frida, nem da sua vida conturbada, nem da sua partida prematura… As imagens falam por si só! Frida é pura energia, cores, vibração! Frida é intensa, profunda, visceral, lúdica, sofrida, partida, dolorida, só e única! Alguns trechos, por ela mesma:

”Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se você soubesse como é terrível obter o conhecimento de repente – como um relâmpago iluminado a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está embotado e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.”

”Origem das duas Fridas. Recordação. Devia ter 6 anos quando vivi intensamente a amizade imaginária com uma menina de minha idade. (…) Não me lembro de sua imagem, nem de sua cor. Porém sei que era alegre e ria muito. Sem sons. Era ágil e dançava como se não tivesse nenhum peso. Eu a seguia em todos os seus movimentos e contava para ela, enquanto ela dançava, meus problemas secretos. Quais? Não me lembro. Porém ela sabia, por minha voz, de todas as minhas coisas…”

Amuralhar o próprio sofrimento é arriscar que ele te devore desde o interior.

Pés, para que te quero, se tenho asas para voar?

frida_kahlo_by_natmir-d5u4j2z

Untitled-120131101_183057fridak2fridags frida3

53DD18258

 

 

Realismo Mágico!

magritte01

el-beso-de-los-amantes-rene-magritteRené Magritte, pintor de imagens insólitas. Pintava metáforas poéticas… Foi o principal artista surrealista Belga. Nasceu em Lessines em 1898 e morreu em Bruxelas em 1967. A arte de Magritte é instigante, às vezes bizarra, mas completamente inspiradora, transgressora, desconcertante e infinitamente bela. É nela e em outros realismos mágicos, que estamos a nos inspirar para a próxima coleção. Aguardem as pinceladas de loucura que vêm por aí…

Rama e Sita

ramaA história de Rama e Sita foi escrita pela primeira vez em Sânscrito no Ramayana. Conta a história que o Rei dos Reis, Indra, certo dia, perdeu seus poderes e envelheceu. Para resolver o problema foi até Vishnu para se aconselhar. Vishnu disse então que deveriam agitar o poderoso oceano de leite e beber amrita, o elixir que os faria recuperar a juventude e a força. Como era uma tarefa difícil, na tentativa de mover a montanha Mandara, para agitar o oceano, acabaram por acordar os demônios (Asuras), que quiseram também tomar o elixir.
Com a ajuda dos Asuras conseguiram realizar a façanha. Mas todos se feriram muito, e receberam então preciosos 14 presentes para a humanidade. A Deusa Lakshmi foi a última a emergir trazendo o elixir. Estava sentada sobre um lótus e era extremamente bela, encantando a todos. E Lakshmi escolheu Vishnu para ser seu consorte.
Quando Vishnu atravessou suas reencarnações, Lakhmi reencarnou com ele.
Quando Vishnu se tornou Rama, Lakhmi se tornou Sita.
Rama é o herói mais importante da mitologia hindu. A história da busca de sua esposa Sita, que foi raptada pelo demônio Ravana, e conta-se por toda a Índia.
No reino Ayodhya (hoje norte da Índia) há milhares de anos atrás, vivia um rei chamado Dasaratha, que era casado com três esposas, chamadas, Kaikeyi, Sumitra e Kaushalya, mãe de Rama.
Rama apaixonou-se por Sita, a filha do rei Janaka de Mithila, que é a reencarnação da fiel esposa de Vishnu, Lakshmi. Devido a um incidente na corte, Rama, seu irmão Lakshmana, e Sita foram viver tranqüilamente no bosque. Tudo ia bem até o demônio Ravana seqüestrar Sita, que gritou a todas as árvores do bosque para dizerem a Rama que estava sendo levada contra sua vontade. Também tirou suas jóias e seu véu de ouro a cinco macacos e Hanumen, seu general.
Então o sábio Agastya aconselhou Rama a adorar o sol, a fonte da vida. Assim o fez e também pediu emprestado uma carruagem e um cocheiro do Deus do Céu, Indra. Logo, Rama foi atrás de Ravana e de seu exército de rakshashas demoníacos. Rama juntou seu exército composto de macacos e ursos e atacou o demônio. Após diversas batalhas, Ravana, o demônio de dez cabeças, foi morto pelas flechas de Rama, e Sita foi finalmente libertada. Rama junto de sua quarta esposa Sita, e seu irmão Lakshmana, regressaram a Ayodhya, depois de haverem passado 14 anos em exílio.
Desta união nasceu Kama, o Deus do amor. Kama é extremamente belo, retratado como um lindo pássaro. Em algumas ocasiões, é reverenciado durante o ato de amor.
Rama não vive sem sua Sita, por isso, os grandes mestres espirituais sabem, que nunca se deve adorar o Deus sozinho, mas sempre com sua consorte, ou seja, junto com sua energia feminina.

(Transcrito de www.semlinhascruzadas)

Idéias bacanas…

Desde toda vida adoro reaproveitar coisas… E estou curtindo cada vez mais essa onda. Quando vejo por aí, umas idéias bacanas, inspiradoras, interessantes… Não resisto! Quero compartilhar com os amigos. Acho que esse conceito está no ar. Tem um monte de gente fazendo isso, compartilhando idéias e sonhos…

Na hora do sim…

Idéias bacanas para um casamento descontraído, bem ao estilo dos anos 70. Flower Power total!  “A cara da Furtacor”… Que por sinal, também está confeccionando uns vestidos de noiva super lindos para a nova coleção. Quem for casar por agora…